Presentes de casamento: tudo o que precisa de saber para acertar à primeira

Voltar
CLASSIFIQUE O ARTIGO: 
Prendas de casamento

Recebido o convite para um casamento, pensa-se de imediato na roupa que se vai levar, mas também na prenda que se vai oferecer. Entre valores monetários, uma lista de casamento ou um presente único e original, como sabemos qual a melhor ideia para uma prenda de casamento?

O que conta é a intenção. Por isso mesmo, saiba qual a intenção dos noivos, ou seja, se é próximo do casal, pergunte o que mais lhes faz falta neste início de vida a dois: dinheiro para pagarem a lua-de-mel ou o serviço de fotografia? Qualquer coisa que conste na lista de casamento ou principalmente as peças do serviço de jantar? Um quadro que viram naquela loja que todos vocês adoram ou alguns conjuntos de lençóis? São eles quem melhor sabem e a si basta-lhe estar atento.

Sim à lista. Quantas vezes não telefonou aos noivos poucos dias depois de ter recebido o convite, só para lhes perguntar: “têm lista de casamento”? Quando a pergunta é “sim”, ufff, que alívio! A sua tarefa está assim muito mais facilitada, principalmente porque os noivos já tiveram o trabalho de escolher as suas próprias prendas – agora é só encontrar uma que tenha particular gosto em oferecer e que esteja dentro do seu orçamento. Existem ainda outras vantagens: para além de poupar tempo e energia, evita a possível duplicação de prendas, e é o ideal quando não se conhecem bem os noivos!

Não à lista. Claro que ninguém é obrigado a comprar uma prenda da lista de casamento – algumas pessoas são da opinião que este sistema é impessoal, muito restritivo ou não concordam com a ideia dos noivos saberem exactamente quanto gastou cada convidado. No entanto, pode usá-la a seu favor. Como? Esta lista é uma excelente ferramenta para perceber o estilo pessoal dos noivos, o género de objectos e/ou cores que mais apreciam e os valores que consideram “aceitáveis” no que toca a prendas. Depois, é só aplicar essa informação na busca da sua prenda única e personalizada!

Noivos “afastados”. Somos muitas vezes convidados para casamentos onde não conhecemos quase ninguém e, às vezes, nem o noivo ou a noiva! Se os noivos não forem muito chegados, escolher o presente perfeito pode tornar-se ainda mais complicado! Se tiverem lista de casamento, essa será sempre a opção mais segura. Se não, procure saber mais pormenores sobre aquilo que pretendem em matéria de prendas através de familiares ou amigos mais próximos. Em último recurso, ofereça dinheiro.

Dinheiro vivo. Apesar de muitos apontarem o “dinheiro vivo” como a prenda mais impessoal que existe, é vista com bons olhos por muita gente: é um presente que nunca é devolvido ou trocado e pode ser utilizado de múltiplas formas! E os noivos agradecem! A regra é oferecer um valor que esteja dentro do seu orçamento e que seja representativo do número de pessoas que estão a oferecê-lo. Não se esqueça: nunca encha um envelope com notas de €5 | R$10, passe antes um cheque… é mais elegante e de bom-tom. Afinal, trata-se de um casamento!

Dividir despesas. Se sabe que o que os noivos mais precisam neste momento é aquela máquina de lavar roupa com capacidade para 9 kg ou então como aficionados de cinema, adorariam um plasma ou um sistema de som tipo “home theatre” para a sua nova sala, porque não? Junte uns quantos amigos e/ou familiares (quantos mais melhor!), dividem as despesas e vejam a alegria na cara dos noivos quando abrirem aquele presente perfeito! Na realidade, todos ficam a ganhar!

A apresentação. Na compra de qualquer prenda de casamento certifique-se sempre que o embrulho seja exímio. Se mesmo depois de sair da loja não está satisfeito com a apresentação visual do presente (os “olhos também comem”, não é verdade?!) compre um papel elegante e vistoso, acompanhado de fitas de seda e faça você mesmo. Nada de ir rebuscar o papel velho que guardou do último aniversário ou, pior, do seu casamento! Um presente de casamento deve ser sempre acompanhado de um postal: para mais tarde recordar e para que a sua prenda não fique perdida no meio de tantas outras, acabando os noivos por não saber quem ofereceu o quê! Mesmo que ofereça dinheiro, fica sempre mais bonito colocar o cheque dentro de um cartão ou postal apropriado, em vez de ir “sozinho” dentro de um envelope branco vulgar. Faça questão de escrever uma mensagem pessoal e do coração, para que os noivos o possam desfrutar, juntamente com a sua oferta.

Não vai ao casamento, não tem de oferecer presente? Não raras vezes somos obrigados, por motivos pessoais ou profissionais, a recusar convites de casamento. No entanto, esse motivo não o iliba de presentear os noivos. Vá ou não vá ao casamento, a etiqueta diz que terá de comprar uma prenda na mesma. Durante muito tempo, era aceitável que essa prenda pudesse ser entregue até ao primeiro aniversário de casamento dos noivos, hoje exige-se uma actuação bem mais rápida, ou seja, não mais de seis meses após a data do casamento.

Trocas e devoluções. Antes de adquirir o que quer que seja, certifique-se que a prenda que vai oferecer possa ser devolvida ou trocada no caso de os noivos não apreciarem ou receberem duas coisas iguais. Para além disso, é importante saber quais os prazos previstos para essas trocas, uma vez que os noivos normalmente ausentam-se em lua-de-mel logo após o casamento. Para facilitar a vida aos noivos, coloque o recibo para troca dentro da própria prenda ou então agrafado no interior do envelope que contém o respectivo cartão.

Peso, conta e medida. A maior prenda que os noivos possam ter é, de facto, a presença de todos os seus convidados no seu grande dia. Pode parecer “lamechas”, mas é verdade! O que significa que não estão preocupados em avaliar monetariamente o que cada convidado decidiu oferecer. Se veio do coração isso vê-se. Se veio da sua garagem onde tem estado guardado desde o seu casamento, isto também se vê. Se veio da lista de casamento, os noivos ficarão satisfeitos por terem acedido à sua vontade. Se escolheu uma prenda pessoal, baseada na vossa amizade de longa data, os noivos nunca mais a esquecerão. Há uma linha estreita entre endividar-se para oferecer um presente extravagante e ser considerado o “forreta” da festa. Não pense que a prenda é o seu “bilhete de entrada” para o casamento – mais do que tudo, isso irá ofender os noivos e resfriar o espírito de celebração que deve caracterizar um casamento.